Escola Legal gera economia de quase 3 milhões
Programa Educacional Escola Legal: economia com nível de ensino, garantia de aprendizagem e estrutura física


Melhoria da qualidade de ensino e aumento de tempo de permanência do aluno na escola, este é um dos objetivos do Programa Educacional Escola Legal (PEEL). Criado pela Prefeitura de Barbacena em março, o Programa entra para o segundo mês em atividade, com elogios de pais, alunos e professores, ganhando destaque na melhoria do aprendizado e qualidade da Educação.

Por meio de um Termo de Cooperação Educacional entre a Prefeitura de Barbacena e a Unipac, toda a infraestrutura da Universidade foi disponibilizada para os alunos. A ideia foi fomentar atividades para melhorar o ambiente escolar, com acompanhamento pedagógico, atividades de meio ambiente, informática, esporte, cultura, lazer e promoção da saúde. E isso tem sido feito.

Que o Programa melhorou as condições de ensino é fato. Agora, em termos de economia, o Programa fez muito mais. A Escola Legal possibilitou a racionalização na contratação de professores e funcionários na Secretaria de Educação, com uma boa economia.  Na gestão anterior havia 560 contratados na Educação (210 professores e 350 funcionários), um gasto mensal de R$ 684.787,91.  Com a implantação do Escola Legal,  a Secretaria de Educação tem hoje 307 contratados (67 professores e 240 funcionários), um gasto mensal de R$ 311.690,96. Ou seja, a economia mensal é de R$ 373.097,00, o que equivale a R$ 4.477.164,00 por ano. Na ponta do lápis, se descontarmos o que a Escola Legal paga, mensalmente, com aluguel e transporte de alunos e professores, um total de R$ 130.000,00, a economia geral é de R$ 243.000,00 por mês, o que dará uma economia de quase R$ 3.000.000,00 por ano.

E é com essa economia que o prefeito Toninho Andrada quer fazer muito mais pela Educação. Dando continuidade à implantação do Programa Escola Legal, inicialmente implantada no Campus da Unipac para 600 alunos, o Prefeito determinou a construção de novo prédio escolar no Distrito de Correia de Almeida para 1000 alunos. O Projeto atenderá à demanda de 15 localidades rurais, e avançará na qualidade de ensino.

Em resumo, o objetivo não é simplesmente economizar, fechar escolas ou instala-las em lugar impróprio, como fazia o governo passado. O objetivo da gestão atual é racionalizar os gastos, aplicando bem o dinheiro público e conquistando a excelência na qualidade do ensino. 


Busca de Notícias