Brasil “escorrega” mas é podium no XCO Sub-23


A prova foi diferente, em relação a competição feminina Sub-23. Desta vez, os atletas masculinos da modalidade de Cross Country (XCO), realizaram seis voltas no percurso de aproximadamente 4.800m e um Start Looping (apresentação do público), mas a disputa e a garra de vencer foram as mesmas. Cerca de  40 atletas do Canadá, Costa Rica, Brasil, Colômbia, Chile, Argentina, Venezuela, México, Equador, Estados Unidos, Paraguai e Uruguai, disputaram a prova, considerada eletrizante para os organizadores.

O páreo foi forte entre o colombiano Jonathan Botero e o brasileiro Luiz Henrique Cocuzzi. Durante as quatro voltas do percurso, Cocuzzi dominava a prova com uma distância considerável, mas numa das subidas, o atleta teve dores e teve que diminuir a “pegada” para não sofrer lesão. “Este segundo lugar tem um gostinho amargo. Eu estava muito bem. Faltando apenas duas voltas para o final da disputa, senti uma câimbra e tive que reduzir para não ter lesão e não perder o podium. Tirando esta parte chata, gostei muito do circuito, ficou nota 10”, disse o atleta medalhista prata na Sub-23.

O campeão da modalidade, Jonathan Botero era só alegria. “A prova foi muito difícil, Cocuzzi é um atleta muito forte, mas fiquei contente em conseguir ultrapassar o grande favorito dessa modalidade”, explicou o vencedor.

O bronze de XCO, Antonie Caron (Canadá), comentou sobre a visão da pista, estrutura do evento e as dificuldades que teve. “O clima do Brasil é muito diferente. Senti muito calor, cheguei suando. A visão lá de cima é maravilhosa. Parabéns a equipe organizadora. Está maravilhoso”, afirmou o canadense.


Busca de Notícias