Barbacena homenageia expedicionários da II Guerra Mundial
A Praça do Rosário ficou cheia e a população se emocionou com a comemoração


Barbacena comemorou na última quinta-feira (8), o “Dia da Vitória”. Um ato em comemoração ao 69º aniversário do término a Segunda Guerra Mundial, com destaque para os barbacenenses que lutaram como expedicionários e que estavam presentes na ocasião: Ary Lopes, João Batista da Silva e João Rodrigues. A celebração foi organizada pela Prefeitura Municipal, através da Agência de Desenvolvimento Integrado de Barbacena e Região (AGIR), com participação da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).

As solenidades tiveram início com a celebração de uma Missa em Ação de Graças na Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Em seguida, foi realizado o Ato Cívico, na Praça do Rosário, com a presença de várias autoridades militares e civis, soldados da EPCAR, Guarda Municipal e alunos de diversas escolas.

Uma coroa de flores foi depositada aos pés do monumento dos “Pracinhas”. “Essa comemoração acontece hoje em todo o mundo, e quando vemos este resgate à paz, realizado por militares, jovens, notamos a vontade de dizer não à guerra. Nossos bravos soldados, que estão aqui conosco, passaram 7 meses e 19 dias em solo italiano. Sessenta e nove anos se passaram e não vamos esquecer do sangue, suor e das lágrimas de nossos soldados”, disse o secretário Chefe da Casa Civil, José Augusto Penna Naves, que foi orador oficial e representante do prefeito Toninho Andrada na solenidade.

Segundo o Presidente da AGIR, André Borgo, o intuito é envolver a comunidade e manter o dia 8 de maio como o dia da paz. “Pior guerra que a humanidade já vivenciou, foram 60 milhões, colocando praticamente o mundo todo em choque, economicamente e militarmente. Mudou a geopolítica no mundo, então, é uma data que a humanidade não pode esquecer. É importante que a juventude entenda que a paz é o melhor caminho para o ser humano, todos os momentos que a humanidade se colocou em conflito através da guerra, ninguém saiu vencedor, sempre o ser humano e a humanidade sai perdedor numa situação dessas”, completou André Borgo.

“É muito difícil mencionar a satisfação de participar deste momento, além do orgulho de ter servido à pátria e também poder lembrar dos amigos que estiveram juntos na Segunda Guerra Mundial”, pontuou Ary Lopes, contando da saudade dos companheiros e também por receber uma homenagem de Barbacena.

Presente no evento, o Brigadeiro do ar Celestino Todesco, comandante da EPCAR, ressalta que o Brasil não pode ter heróis somente no esporte. “Nós temos heróis na literatura, na música e em muitos outros setores. Estes expedicionários são uma imagem, uma representação, um molde, um exemplo para nós seguirmos”, concluiu o comandante, emocionado.


Busca de Notícias