Grupo Embaixadores da Alegria desenvolverá trabalhos em Barbacena
O encontro aconteceu no auditório da Agir e contou com a presença de várias entidades que atendem ao púbico alvo dos trabalhos


Barbacena recebeu na noite da última quarta-feira, dia 3, Paul Davies e Luiz Pacheco que fazem parte do grupo Embaixadores da Alegria do Rio de Janeiro. A finalidade da vinda deles à cidade foi apresentar as oficinas de samba que desenvolvem no Rio Janeiro e em outras cidades e que tem como público alvo as pessoas com alguma necessidade especial. Barbacena será o próximo município a receber as oficias. Com este trabalho será montado na cidade uma escola de samba ou um bloco carnavalesco com as pessoas com síndrome de down ou com outra necessidade especial. Também envolverá toda a família. O encontro aconteceu no auditório da Agir e contou com a presença de várias entidades que atendem ao púbico alvo dos trabalhos.

O desenvolvimento desse trabalho em Barbacena é uma iniciativa da Prefeitura, através da Secretaria Municipal do Sistema de Integração Governamental para Promoção Humana - Siga Municipal em parceria com a Associação Olhar Down. Os Embaixadores da Alegria estarão na cidade para desenvolver, até o carnaval, as oficinas e tudo será gratuito para os participantes e todo o material utilizado para a confecção dos trabalhos é de responsabilidade dos Embaixadores. Tudo é trabalhado dentro da limitação de cada pessoa.

“A Siga já tem todos os instrumentos que serão utilizados na montagem da bateria. A Prefeitura Municipal, a Associação Olhar Down e os Embaixadores estão em total consonância com a efetivação dos direitos das crianças e dos adolescentes com ou sem deficiência. A participação da família será fundamental para a inclusão mais completa dessas pessoas”, destacou Ângela Kilson, secretária da Siga.

Para Sâmila Monna Lisa Silva Barbosa, presidente da Associação Olhar Down, é uma grande conquista para essas pessoas porque vai trabalhar toda a parte intelectual, coordenação motora, parte afetiva com a famílias, eleva a autoestima, mostra que são capazes, além, é claro, de ter a montagem do grupo carnavalesco que fará apresentação na cidade. “Vai valorizar muito a pessoa com deficiência e estabelecer um vínculo mais forte com a família. O Olhar Down tem a proposta da inclusão, além de estimular a parte cognitiva de cada um deles”, pontuou.

Embaixadores da Alegria

Primeira escola de samba do mundo voltada para as pessoas com deficiência, não deixa ninguém de fora da folia. A escola usa a arte e a alegria do carnaval para promover a inclusão social. Fundada em 2006 por Paul Davies, Caio Leitão e Felipe Nogueira, a escola surgiu após um de seus fundadores sofrer um problema de coluna que o impossibilitou de desfilar nas escolas regulares. Foi quando o inglês Paul Davies, que mora no Rio de Janeiro há 20 anos, percebeu que as pessoas com deficiência não tinham acesso aos desfiles e ao carnaval carioca. Surgiu aí a ideia de criar uma escola voltada para esse público e não só uma ala, como algumas grandes agremiações cariocas faziam. Hoje a escola conta com 1800 componentes, diversas alas, carros alegóricos, comissão de frente, rainha de bateria e a oportunidade de abrir o desfile das Campeãs do Grupo Especial. 


Busca de Notícias