Caps AD3: um serviço voltado para o dependente de álcool e outras drogas
O serviço é desenvolvido pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde Pública, numa parceria com o Governo Federal


Um dos grandes problemas que vem assolando muitas famílias na atualidade está relacionado ao álcool e às drogas. Deixar o vício e buscar uma vida mais tranquila não é uma tarefa fácil. Em Barbacena, as pessoas e familiares que sofrem com esse problema passaram a ter como ponto de apoio o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas - Caps AD3 que está em funcionamento desde novembro de 2012. O Caps oferece todo tipo de tratamento para os dependentes de álcool, de crack e outras drogas.

Um serviço que está à disposição da população não só de Barbacena, mas também das cidades da microrregião. É desenvolvido pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde Pública, numa parceria com o Governo Federal. O Centro de Atenção Psicossocial localiza-se à rua Comendador João Fernandes na área central da cidade. Funciona 24h sendo que o acolhimento das pessoas acontece das 7h às 19h e das 19h às 7h da manhã o serviço estará todo voltado para aqueles que precisam ficar no Centro para maior observação e recuperação.

No Caps AD3 as pessoas contam com uma equipe de profissionais multidisciplinar composta por médico clínico, psiquiatra, psicólogo, enfermeiro, técnico de enfermagem e outros profissionais. Grande parte dos pacientes é encaminhada por algum serviço de saúde de Barbacena e região. Já tem outras pessoas que procuram o Caps espontaneamente.

Segundo Enoque Alves Silveira, Gerente de Caps, da Secretaria Municipal de Saúde, são atendidas, por dia, mais de 80 pessoas e aproximadamente 20 necessitam de um tratamento mais intensivo por estarem em crise. “Nosso cadastro atualmente tem 1.600 pessoas e pouco mais de 600 continuam usufruindo constantemente dos serviços. Grande parte já conseguiu superar o problema e passou a ter uma vida familiar e social mais tranquila”, destacou. Outro ponto positivo que Enoque ressaltou é em relação à participação da família em todo o processo de recuperação da pessoa. “Atendemos também a família em sistema de assembleia ou dependendo do caso, tem um atendimento individual”, disse.

Cerca de 80% dos que usufruem dos serviços do Caps são homens e 70% dos usuários tem seu problema ligado ao álcool. A maioria do público com o alcoolismo tem entre 30 e 60 anos e com o crack e outras drogas, de 14 a 30 anos. O Caps AD3 faz parte da Rede de Atenção Psicossocial do Município que tem também 27 Residências Terapêuticas, o Caps 3 - Tratamento Mental, 10 leitos clínicos na Santa Casa de Misericórdia para atender o paciente em crise do álcool, o Consultório de Rua e a Fhemig. 


Busca de Notícias