Casa “Mulheres pela Paz” tem resultados positivos


Pouco mais de um mês depois de inaugurada, a Casa “Mulheres pela Paz” já atua de forma decisiva no apoio às mulheres vítimas da violência doméstica, com resultados altamente positivos. Neste breve período de funcionamento, 25 mulheres já foram atendidas e receberam orientações nas áreas jurídica, assistencial e psicológica.

Idealizada pela Iniciativa Social “Ser Mulher”, movimento livre coordenado pela primeiradama do município Paula Andrada, a Casa “Mulheres pela Paz” é gerenciada pela Secretaria Municipal de Coordenação de Programas Sociais – SECOPS. Segundo Paula Andrada, a proposta do “Ser Mulher” era estimular a criação de um núcleo de atendimento diferenciado e individualizado às mulheres que sofrem violência no lar, ofertando suporte profissional e multidissiplinar. Trabalhando na busca de apoio financeiro, material e na construção de parcerias para a viabilização do espaço, a Iniciativa Social entregou toda a estrutura da Casa para o gerenciamento institucional do município. Conforme o Decreto Municipal nº 7.653/2014, a Secretaria Municipal de Coordenação de Programas Sociais – SECOPS assumiu a responsabilidade pela manutenção da instituição. Ao tomar conhecimento do primeiro relatório de funcionamento da unidade, Paula Andrada revelou-se “feliz” com o resultado do trabalho que coordenou.

O prefeito Toninho Andrada define a Casa como uma instituição “de acolhimento e de ajuda às mulheres vítimas de violência doméstica que precisam de apoio e de orientação”. Ele frisou que a sua administração está com o olhar voltado para as questões sociais e aberta às mais variadas parcerias no setor.

A Secretária Rita Candian vê a Casa como “uma grande conquista para Barbacena, que ganhou através da Iniciativa Social ‘Ser Mulher’ uma instituição que oferece suporte para que as mulheres vítimas de violência tenham melhores condições de superar o ciclo de agressões a que são acometidas”. Kátia Miranda, Coordenadora da Casa “Mulheres Pela Paz”considera o local um importante instrumento de amparo para as mulheres, “que chegam abaladas, desamparadas, deprimidas e não sabem sequer os seus direitos mais básicos”. Para ela, a maioria dos atendimentos ocorre de forma espontânea. “Dos 25 atendimentos já registrados, 18 aconteceram por iniciativa das próprias mulheres agredidas, sem necessidade de encaminhamento pela Delegacia de Mulheres ou pela Policia Militar”, explicou.“Isso demonstra que a Casa já é uma referência na nossa sociedade”, concluiu.
já a psicóloga Simone Batista Ferreira, vê a casa como um local que trabalha o resgate da autoestima das mulheres vitimas da violência. “É quase uma forma de prevenção para que a violência não progrida”, analisa.
Localizada na Avenida Governador Benedito Valadares, nº 306, a Casa “Mulheres pela Paz” funciona das 8 às 18 horas, e o telefone paracontato é 3332-9638.

Fonte: Jornal Praça Pública


Busca de Notícias