Obras de restauração do casarão começam em novembro
Reunião com equipes da Prefeitura de Barbacena e IPHAN e empreiteiras acertou detalhes da recuperação da sede da Fazenda do Registro


As obras de restauração da Fazenda do Registro Velho, um dos mais importantes imóveis do período colonial brasileiro, devem começar nas próximas semanas. Em reunião realizada no dia 3 de novembro, em São João del Rei, no Escritório Técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN – foram analisados e acertados os últimos detalhes para o inicio do empreendimento. A obra vai reconstruir a estrutura e a cobertura da sede antiga da fazenda, que servia como um dos pontos de fiscalização da circulação do ouro entre o interior de Minas Gerais e o Rio de Janeiro, então capital do Brasil.

Tombada como patrimônio municipal e nacional, a fazenda já sofreu duas intervenções nos últimos anos na tentativa de deter a sua deterioração, tentativas estas que não foram bem sucedidas na salvaguarda e recomposição do bem. Por decisão judicial solicitada pelo Ministério Público, através da Promotoria do Patrimônio Cultural, o IPHAN,realizou duas licitações para a reconstrução da estrutura e telhado e para a elaboração de um projeto de uso e restauração. A primeira foi vencida pela Construtora Minas Nova e a segunda pela Gema Arquitetura. A Prefeitura Municipal de Barbacena vai cuidar da infraestrutura para os trabalho de recuperação e o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico - COMPHA - e o IPHAN serão os responsáveis pelo acompanhamento dos trabalhos.

O proprietário da Fazenda do Registro Velho, Alexandre Cordeiro, cedeu no início deste ano de 2014 o imóvel e uma área do local para o Município de Barbacena através de comodato, ficando acertado que ao final dos trabalhos ele doará definitivamente o casarão e a área adjacente ao município. Tão logo recebeu um relatório da reunião, o prefeito Toninho Andrada determinou que setores como a AGIR, Secretaria de Obras e SAS se mobilizassem para permitir que a infraestrutura básica para os trabalhos no local fosse disponibilizada. “A recomposição arquitetônica do casarão da Fazenda do Registro vai permitir, além da manutenção física de uma história que remonta ao século XVII, a utilização do local para fins histórico, educacional e museológico através de parcerias estabelecidas pelo Município de Barbacena com segmentos da iniciativa privada e dos governos estadual e federal”, disse o arquiteto Sérgio Cardoso Ayres, representante da AGIR e presidente do COMPHA.

Participaram do encontro, Vanessa Taveira de Souza, Chefe do Escritório Técnico do IPHAN; Érica Jorge Rodrigues da Cunha, Arquiteta IPHAN; Giovana Zappa Barbosa, arquiteta da Secretaria de Obras da Prefeitura Municipal de Barbacena; Osmar Lincoln Santos Menezes Pinto, da Construtora Minas Nova, Priscila Soares de Almeida, da Gema Arquitetura; Sérgio Cardoso Ayres e Sérgio Brunelli, representando a Diretoria de Cultura e Turismo da AGIR.


Busca de Notícias