Prefeitura promove Oficina de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos
Evento contou com a participação de órgãos dos governos estadual e municipal e instituições ligadas ao trabalhador rural


Em uma ação voltada aos trabalhadores, a Prefeitura de Barbacena, através do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) realizou, nos dias 25 e 26, a Oficina de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos das Regiões de Saúde de Barbacena, São João del-Rei, Conselheiro Lafaiete/Congonhas, Muriaé e Ubá. O evento contou com a participação de autoridades em Saúde e Agricultura dos municípios envolvidos e também do Governo do Estado, assim como de instituições de âmbito estadual ligadas ao trabalhador. Com a presença de 135 pessoas, de 35 municípios da região, a Oficina contou com mesas-redondas, palestras, exposições e debates que no final serviram de base para a montagem de um plano de ação sobre o uso de agrotóxico pelos trabalhadores da região.

A preocupação com uma alimentação saudável vem cada dia mais fazendo parte do cardápio do brasileiro, porém, a produção agrícola à base de agrotóxicos continua sendo a principal forma de cultivo no país, prejudicando não só aqueles que ingerem os alimentos, mas também aqueles que trabalham neste tipo de plantação.

A importância do evento para participantes:

*Ana Paula da Silva Augusto (Enfermeira e Gerente do Cerest Barbacena)

“Um dos trabalhos do Cerest é a promoção da saúde. O perfil produtivo da região de Barbacena é agrícola, por isso esta região encontra-se exposta a diversos tipos de agrotóxicos, o que mostra como é importante um evento como esse para discutir a saúde da população exposta ao agrotóxico”.


*Elice Eliane Nobre (Diretora de Saúde do Trabalhador da Secretaria Estadual de Saúde)

“O grande objetivo do evento foi levantar discussões sobre o tema proposto. Foi muito importante o trabalho das oficinas com a participação de instituições que lidam com o agrotóxico e com pessoas que trabalham na área de saúde, pois assim é possível conhecer e saber a responsabilidade de cada um. Com este evento, é feito um plano de ação para trabalhar em toda região”.

 

*Grécia Mara Borges (Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão)

“O Projeto Estado em Rede trabalha com intersetorialidade e regionalização, reunindo representações regionais de todas as áreas do Governo. Desta forma, participar deste evento (Oficina de Vigilância em Saúde) está dentro da lógica de trabalho, com a importância de conhecer a realidade do Campos das Vertentes e saber como colaborar nas ações que daqui forem extraídas”.


*João Nélson Rios (Assessor da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento)

“Um evento como este é altamente importante, pois o trabalhador e sua família é quem está exposto ao agrotóxico. Por outro lado, o consumidor a cada dia está mais exigente, querendo alimentos livres de agrotóxico. As duas razões mostram que é necessário parcerias das instituições para tornar mais mais fácil o enfrentamento da questão. É preciso trabalhar na conservação do meio ambiente para a sustentabilidade”.

 

*Juliana Simões (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig)

“Um evento como este é de extrema importância. Hoje os agricultores estão enfrentando problemas com os agrotóxicos e a agroecologia é a alternativa, mas sabemos que isto não irá acontecer de uma hora para outra. É um trabalho de médio a longo prazo, que tem como foco principal aqueles que trabalham com agricultura familiar”.


Busca de Notícias