Secretário explica na Câmara funcionamento da Saúde
José Orleans mostrou metas e serviços da Secretaria de Saúde


Apresentação de gráficos, números e projetos da Secretaria Municipal de Saúde, seguido de muitas perguntas, sugestões e muitas explicações. Assim foi, por mais de duas horas, a visita do secretário municipal de Saúde, José Orleans da Costa, à Câmara Municipal de Barbacena, mostrando metas e serviços do setor, entre eles a instalação do Posto Avançado de Coleta de Sangue, funcionamento da Farmácia Popular, situação dos médicos nos postos, tempo de retorno de consulta, situação da UPA e serviços odontológicos.

Durante 50 minutos, o secretário José Orleans apresentou em slides informações sobre a situação da Saúde em Barbacena. E logo no início, quando se colocou à disposição para os esclarecimentos que os vereadores achassem necessários, Orleans deixou uma mensagem: “Não posso deixar de registrar que conforme preconiza a Lei Complementar 141, tenho estado nesta Casa realizando a prestações de contas quadrimestrais nos meses de fevereiro, maio e setembro e estas audiências tem tido muito baixa adesão dos vereadores, na última realizada em fevereiro, contamos apenas com 04 dos 15 vereadores”.

Vários segmentos da área de saúde no Município estiveram representados na audiência. A mesa presidida pelo vereador Flávio Barbosa contou com a presença, além do secretário José Orleans, com o diretor da Santa Casa, Jorge Correa Neto; diretor do Ibiapaba, José Eduardo; diretor do Imaip, Otávio Vieira; diretor da Faculdade de Medicina, Marco Aurélio; e o representante da Superintendência Regional de Saúde, Robson Campos Vidigal.

O secretário José Orleans disse ser importante o relacionamento entre o Executivo, por meio de seus órgãos e secretarias, com o Legislativo: “É muito salutar o entrosamento da Secretaria com os vereadores. Hoje tive, mais uma vez, a oportunidade de colocar as questões que os vereadores gostariam de ter mais esclarecimentos, como eu sempre coloco quando venho à Câmara, coloco as dificuldades, os avanços, o que não avançou, o que ficou para avançar e respondo as perguntas na maior naturalidade”.

José Orleans também aprovou o debate com os vereadores: “Eu sou um homem de debate, eu trabalho muito, mas tem que ter os debates. A gente sabe o que está fazendo, sabe das dificuldades, e escuta críticas também: pode melhorar uma coisa aqui, outra lá, melhorar muita coisa. Mas eu me senti muito bem, me senti à vontade, me senti respeitado pela Casa”.


Busca de Notícias