Epcar: Dia da Aviação de Caça


No último dia 22 de abril foi comemorado pela Escola Preparatória de Cadetes do Ar o Dia da Aviação de Caça, da Força Aérea Brasileira. A solenidade militar foi presidida pelo comandante da Epcar, brigadeiro do Ar Celestino Todesco, e contou com a presença do prefeito em exercício, Mário Raimundo de Melo, que estava acompanhado do secretário Chefe da Casa Civil, José Augusto Penna Naves, do secretário de Governo, José Francisco Vidigal Silveira e do sub secretário de Governo, Hugo Vidal, que fizeram uma visita de cortesia a instituição.  

Durante a solenidade o Brigadeiro Todesco, tendo ao lado o prefeito Mario Raimundo entregou uma placa ao Sub-oficial Edison, pelos relevantes serviços prestados a FAB, especialmente à Epcar, que naquela data passava para a reserva, que emocionado usou da palavra para descrever sua passagem pela FAB. A solenidade teve início com o hasteamento da bandeira nacional e foi encerrada com o desfile militar. Após o evento, o brigadeiro Todesco, o coronel Silva Júnior, coronel Fernandes e o major Pereira almoçaram com as autoridades municipais.

Abaixo transcrevemos a Ordem do Dia alusiva ao Dia da Aviação de Caça, de autoria do Comandante-Geral de Operações Aéreas, Tenente Brigadeiro do Ar. Gerson Nogueira Machado de Oliveira.

Ordem do Dia – Dia da Aviação de Caça

Nesta data, a Força Aérea Brasileira tem o privilégio de registrar os setenta anos, em que vinte e dois audazes pilotos, tão jovens quanto a própria Força Aérea, lançaram-se aos ares e realizaram o maior número de missões, em um único dia, durante a campanha da Itália, na Segunda Guerra Mundial. Teria sido um dia como tantos outros em solo italiano, de clima frio e nevoeiro, não fossem as marcas expressivas de eficiência do Primeiro Grupo de Aviação de Caça, que sob a inconteste liderança do jovem Major Nero Moura, com coragem e entusiasmo, decolaram em quarenta e quatro surtidas, desde o amanhecer, rumo a um território dominado por forças oponentes, para atacar alvos protegidos por artilharia antiaérea.

O desempenho daqueles heróis marcou para sempre, nos céus da Europa, uma história de glória da Força Aérea Brasileira. Entretanto, o fim da guerra trouxe novos desafios e, indubitavelmente, um anseio de consolidar as bases da doutrina da Aviação de Caça sob valores identificados no front de combate. A missão deveria ser, então, repassar aos jovens de toda a Força Aérea os ensinamentos aprendidos com a atuação aguerrida do Grupo de Caça brasileiro. Esses conhecimentos seguiram várias gerações, desenvolveram um espírito de profissionalismo, abnegação e tradição, que foram difundidos e perpetuados no decorrer de nossa história, contribuindo para o engrandecimento operacional de uma Aviação de Caça reconhecida e moderna.

Ao longo de todos esses anos, homens e mulheres comungam das mesmas tradições e valores, dispõem de aeronaves, armamentos e equipamentos de última geração, plenamente adaptados à evolução das ameaças e das exigências operacionais e logísticas.

Soma-se a isso, a aquisição em curso das aeronaves Gripen NG pelo país, caça que atenderá a todos os empregos definidos, com capacidade de carga bélica que aumentará a probabilidade de vitória em qualquer engajamento, por meio de recurso de guerra centrada em rede, que permitirá enxergar e acertar primeiro, além de conferir uma completa noção da situação tática. Nesta direção, o Comando Geral de Operações Aéreas prioriza suas ações, diuturnamente, a fim de que todas as Unidades de Caça disponham de meios humanos, materiais e bélicos que garantam suas capacidades de pronta-resposta.

Hoje, ao completar setenta anos daquele dia honroso do Primeiro Grupo de Aviação de Caça, o legado de nossos veteranos permanece nos combatentes que voam e fazem voar os caças da Força Aérea Brasileira. Pilotos de Caça doem-se sem esperar benefícios, jamais esmoreçam ante aos desafios, pois estes sempre estarão presentes. Mantenham-se perseverantes e comprometidos com a missão que lhes é confiada, honrem o passado de orgulho e glória e que o brilho dos feitos praticados por nossos notáveis guerreiros lhes sirvam como exemplo de coragem e determinação para a defesa da liberdade e soberania do nosso querido Brasil. Neste dia especial, concluo com as palavras do Brigadeiro Nero Moura, Patrono da Aviação de Caça: “Camaradas: para frente, para a ação, com o pensamento fixo na imagem da Pátria, cuja honra e integridade juramos manter incólumes”. Parabéns à Aviação de Caça! “Senta a Pua!” “Brasil!”


Busca de Notícias