Professora fala do projeto que levou ao primeiro lugar na Fecib

Professora Betty Ferreira Candian com os alunos vencedores

Na última semana a turma da educação infantil da professora Betty Ferreira Candian, da Escola Municipal Padre Sinfrônio de Castro, foi campeã na categoria ‘Investigativo’ da IV Feira Científica de Barbacena - Fecib. A professora, em uma entrevista, fala sobre esta conquista e a realização do projeto.

 

O que representou o desenvolvimento desse projeto para o ensino aprendizagem dos alunos?

Primeiramente foi de grande incentivo a conquista do primeiro lugar, pois os alunos ficaram mais motivados. O projeto é a apresentação do trabalho que realizamos dentro do contexto dos experimentos. Com tudo, isso não é a finalização das atividades com as crianças nem com a aprendizagem ciência ou qualquer outra área do conhecimento, porque essa aplicação do projeto tinha exatamente o objetivo de ver como as crianças se manifestam diante do conhecimento novo. E para a turma com crianças de 5 e 6 anos de idade, o conhecimento é sempre uma novidade e sempre vai vir outros e outros. Representou uma demonstração do que uma criança é capaz de fazer. O trabalho em si é cotidiano.

Como foi o desenvolvimento do projeto com os alunos?

Pensamos muito na motivação, no desenvolvimento, na competência das crianças. Os alunos me surpreenderam além das expectativas. Eu já tinha uma ideia do que ia acontecer, mas não esperava tanta prontidão, tanto envolvimento como foi e acabou com a apresentação na Feira e o resultado do primeiro lugar que foi fundamental.

 

É importante investir em projetos para serem apresentados em Feira?

Com certeza. Gosto muito da pedagogia dos projetos, porque facilita, promove a autonomia do estudante seja em qualquer faixa etária. Quando trabalhamos com projetos criamos possibilidades, momentos, enfim, o aluno desenvolve sua competência de interpretação, de análise e de conclusão dos fatos. A pedagogia do projeto promove o ensino aprendizagem de uma forma muito autônoma e acho isso muito importante. Finalizar com uma apresentação em Feira em nosso caso, que fomos premiados, é a demonstração de que tudo isso realmente dá certo.

 

Quais são as expectativas para a apresentação do projeto em Juiz de Fora, uma vez que foi vencedor em Barbacena?

Será apresentado no Simpósio Mineiro de Educação em Química e é uma apresentação acadêmica, as crianças não irão. Será na linha da pesquisa, da linguagem dos alunos, como eles se manifestaram. Fomos selecionados por ser um projeto inovador. É difícil ver um trabalho que analise a fala das crianças diante de um fenômeno químico. Essa característica do projeto é que fez com que nós fôssemos selecionados para essa apresentação. Mas o Simpósio não está vinculado à Fecib, mesmo que nós não tivéssemos sido premiados, a gente iria apresentar o trabalho em Juiz de Fora.


Busca de Notícias