Prefeitura participa de Seminário sobre questão quilombola
Representantes da Escola Municipal Visconde de Carandaí , que tem o registro de "Comunidade Quilombola dos Candendes", representaram o município

O evento foi realizado foi nos dias 22 e 23 de outubro, na seção mineira da OAB

A Escola Municipal Visconde de Carandaí, localizada no distrito de Ponto Chique do Martelo, no final do ano de 2012, passou a fazer parte de uma localidade remanescente de Quilombo. Nesta data, a comunidade conseguiu o registro da auto denominação de 'Comunidade Quilombola dos Candendes'. Estudos e pesquisas realizados por pessoas interessadas no resgaste e na valorização da cultura afrodescendente possibilitaram que a Escola recebesse o registo. Com a obtenção do documento, as atividades escolares precisaram passar por uma revisão pedagógica, uma vez que há uma gama de instruções que deverão ser seguidas e orientadas pelas Diretrizes Curriculares para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica. E, com o objetivo de reformular a proposta político pedagógica, a Prefeitura de Barbacena, através da Secretaria Municipal de Educação, Desporto e Cultura, propôs que a diretora da Escola, Márcia Auxiliadora Prenazzi, e a técnica em educação Nilda Paiva, participassem do Seminário 'A Verdade da Escravidão Negra e a Questão Quilombola em Minas Gerais: O Caminho para Efetivação da Dignidade Humana', que foi realizado nos dias 22 e 23 de outubro, na seção mineira da OAB.

O objetivo da participação das duas profissionais da Escola Visconde de Carandaí no Seminário foi a possibilidade de aprimorar conhecimentos para a elaboração da proposta junto com a equipe pedagógica da instituição de ensino, o conselho escolar e a associação comunitária, conforme orientações da Resolução nº 8, de 20 de novembro de 2012, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Quilombola para a Educação Básica.

A secretária municipal de Educação, Desporto e Cultura, Rita Candian, falou da importância do resgate da Cultura Quilombola: “Considero o resgate da Cultura Quilombola de suma importância para nossa região, considerando que temos remanescente de Quilombo na localidade de Ponto Chique do Martelo, e estamos empenhados em implantar a Resolução nº 8, que define Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Quilombola para a Educação Básica, acrescentando no conteúdo programático da Escola esse tema, para tal, designamos comissão na Secretaria de Educação, que acompanhará todo o processo de implantação”.

A diretora da Escola, Márcia Auxiliadora Prenazzi, destacou a importância de participar do Seminário. 'Foi uma experiência marcante e de imenso aprendizado participar do Seminário, pois nos colocou a par de uma realidade apenas estudada nos livros de História, sem enxergar a verdadeira condição dos fatos ocorridos e da perda de identidade de uma população que contribuiu para o crescimento do nosso país'.

Segundo o presidente do Instituto Cultural 1º Quilombo, antropólogo e membro da comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra em Minas Gerais, Angelo Sátyro, 'a importância do Seminário está em sua capacidade de trazer novas informações e reflexões sobre a situação do negro no período escravista e no período pós abolição. Analisando o período escravagista, ficou apontado que a escravidão sobre negro foi um crime de lesa humanidade, crime de tortura, crime de sequestro, além do crime de apropriação cultural e muitos outros crimes. A situação quilombola atual e a implementação da lei 10.639/2003 foram temas específicos e ficou apontado que ambos, comunidade quilombola e lei 10.639/2003 são os grandes pilares hoje que podem restabelecer a identidade e o respeito à pessoa negra e à cultura e historia do povo negro brasileiro'.


Busca de Notícias