Escola Municipal realiza evento sobre Consciência Negra
Atividades realizadas na comunidade Quilombola dos Candendês

Várias atividades foram realizadas para marcar o Dia da Consciência Negra

Com o objetivo de promover a valorização da cultura afro-descendente, a Escola Municipal Visconde de Carandaí, localizada no distrito de Ponto Chique do Martelo, comunidade Quilombola dos Candendês, realizou a culminância do projeto “Semana da Consciência Negra”, na última sexta-feira (20), data que marca as atividades em memória de Zumbi dos Palmares, líder quilombola e referência na luta contra a escravidão, com o Dia Nacional da Consciência Negra. O evento contou com apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Educação, Desporto e Cultura (Sedec).

Os estudantes da escola, orientados pelos professores, desenvolveram atividades com o tema Consciência Negra. Foram realizadas apresentações culturais e artísticas e contação de história com Toninho Neguinho. Na ocasião, os alunos também apresentaram materiais confeccionados por eles. Aproximadamente 140 pessoas, entre eles, alunos, professores, funcionários e a comunidade em geral participaram da culminância.

“o Dia da Consciência Negra é uma data instituída nacionalmente para relembrar a história e comemorar as conquistas dos negros. Eventos como esta Semana da Consciência Negra, realizado na Escola Visconde de Carandaí, resgata a cultura negra e mostrar que o povo brasileiro é constituído por várias raças, vários tons e o negro é um deles”, destaca a secretária municipal de Educação, Rita Candian.

A diretora da Escola Visconde de Carandaí, Márcia Auxiliadora Prenazzi, falou do trabalho desenvolvido. “Nas últimas semanas, o trabalho na escola foi intenso, com o empenho e o enorme esforço de todos. As atividades envolveram todos os alunos da escola em sala de aula, pesquisa no telecentro, contação de história, atividades de arte, dança, capoeira, congado, teatro, leitura de textos e livros diversos, que ficaram expostos na cantina, através do projeto 'Está chovendo Leitura'. O dia foi dedicado a comunhão das raças, a diversidade que o nosso país tem e a paz no mundo. A diversidade é um exemplo de que os povos podem viver em união e paz”.

As atividades diversificadas foram aprovadas pelos estudantes. “O que mais me chamou a atenção foram as músicas e danças de origem africanas: capoeira e congado”, destacou Rafael Fagundes Prezotti Ferreira, aluno do 2º ano do Ensino Fundamental.

A iniciativa da Escola, com a promoção do evento, foi destacada por Gustavo Campos Neto, também aluno do 2º ano do Ensino Fundamental. “A encenação da história 'Menina Bonita do Laço de Fita', de Ana Maria Machado, foi o que mais me chamou a atenção, pois nos ensinou que a cor não nos faz diferentes. E peço aqui a todas as pessoas que se amem”.

O evento foi também um momento de reflexão sobre a atual condição do negro na sociedade brasileira, bem como a discriminação e o preconceito ainda testemunhado pelos cidadãos Brasileiros.


Busca de Notícias