Mais de 200 pacientes atendidos em casa pela Prefeitura
Programa “Melhor em Casa” faz sucesso em Barbacena


“A segurança do hospital no conforto da sua casa”. Com este slogan, o programa de atenção domiciliar “Melhor em Casa” já virou referência na área da saúde em Barbacena. O programa foi implantado pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde, em novembro de 2013 e a cada ano conta um número maior de pacientes. No balanço do ano de 2015, o programa contabilizou mais de 200 pacientes internados em casa e 17 mil atendimentos multidisciplinares.

O “Melhor em Casa” cumpre o propósito de atender, no lar, pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos ou que estejam em situação pós-cirúrgica. Em Barbacena, o programa conta com enfermeiro, fisioterapeuta, médico, técnico de enfermagem, psicóloga, nutricionista e fonoaudióloga.

O prefeito Toninho Andrada destaca que o setor municipal de saúde tem conseguido avanços importantes e um deles é o “Melhor em Casa”, em que a prefeitura passa a dar atendimento domiciliar àqueles pacientes que se enquadram nas características do programa. “Em 2015, o número de pacientes atendidos revela o trabalho sério e comprometido que o Município está realizando nesta área”, destaca o prefeito.

O médico do programa, Guilherme Bomtempo, explicou como é feito a triagem e os procedimentos para que o paciente possa integrar o “Melhor em Casa”: “O paciente é encaminhado pela Unidade Básica de Saúde ou do Pronto Atendimento (Hospital Regional). Ele então recebe uma visita do médico e da psicóloga do programa para ver se tem condição de receber o tratamento em casa, se não vai necessitar de algum medicamento ou exame que não pode ser feito fora do hospital. Se o paciente puder ser atendido pelo programa, os profissionais conversam com a família dele para eleger um cuidador para ser o responsável pelo paciente. O nosso trabalho é gratuito”.

Além do conforto de poder ser atendido em casa, os responsáveis pelo programa destacam ainda que o “Melhor em Casa” é também mais humanizado, evitando ainda infecção hospitalar e transtornos para o paciente e sua família.


Busca de Notícias