Prefeitura atua nas comunidades rurais atingidas pelas chuvas
Gabinete de Gerenciamento de Crise, criado pelo prefeito, tem se reunido e trabalhado todos os dias para atualizar dados, definir e executar ações

Ponte que dá acesso à comunidade de Torres foi liberada no sábado

Dias de trabalho intenso. Desta forma o Gabinete de Gerenciamento de Crise, criado pelo prefeito Toninho Andrada, e a Defesa Civil de Barbacena vêm procurando solucionar os problemas em decorrência da chuva forte, que caiu na região na última quinta-feira, dia 28 de janeiro, e casou problemas em diversas áreas do Município. Aos poucos, comunidades inteiras vem voltando à rotina, com a Prefeitura liberando o acesso as localidades atingidas. O monitoramento das áreas tem sido feito diariamente pela Defesa Civil, com relatórios e busca de soluções para os problemas em reuniões realizadas pelo gabinete do prefeito.

A comunidade de Torres teve o acesso liberado na tarde do último sábado, 30 de janeiro, com a construção de uma ponte provisória na estrada que liga a localidade à BR-040. Nesta segunda-feira, 1º de fevereiro, os trabalhos foram concentrados na estrada de Palmital com recolocação de manilhas. Na terça-feira, dia 2, o trabalho de recolocar manilha será realizado na estrada da comunidade da Pedra. Já a quarta-feira, dia 3, será de serviço na estrada que liga as comunidades dos Moura, Monjolo e Clínica da Mantiqueira à BR-040, com a construção de uma ponte provisória.

O prefeito Toninho Andrada, na própria quinta-feira pela manhã, esteve em algumas localidades afetas e imediatamente acionou a Defesa Civil Municipal e, através do Decreto 7.942, instituiu uma 'força tarefa' criando o Gabinete de Gerenciamento de Crise. No mesmo dia, o prefeito assinou o Decreto 7.941 declarando 'Situação de Emergência' no Município.

Segundo o secretário chefe da Casa Civil e presidente do Gabinete de Gerenciamento de Crise, José Augusto Penna Naves, o prefeito Toninho Andrada determinou que toda a estrutura da Prefeitura esteja á disposição para a solução dos problemas. 'Desde quinta-feira toda a Prefeitura está voltada para minimizar os efeitos causados pelas chuvas em diversas comunidades rurais. As Secretarias Municipais e a Defesa Civil estão mobilizadas nesse sentido. Já conseguimos realizar algumas ações pontuais e importantes, a fim de normalizar o mais rápido possível a vida daquelas famílias atingidas', salientou.

De acordo com a Defesa Civil do Município, 48 famílias ficaram desalojadas e quatro residências foram interditadas no Município. A parte humanitária tem sido uma preocupação não apenas das autoridades, mas de toda sociedade. O trabalho social com levantamento da população atendida está sendo realizado pela UBS de Correia de Almeida, que ficou também responsável pelo controle das doações que estão sendo feitas para as vítimas.

“Desde que aconteceu a chuva forte e foram constatados os problemas, houve uma reação da sociedade na tentativa de ajudar as vítimas, com muitas doações”, destacou o coordenador da Defesa Civil do Município, José Luiz de Sena, lembrando que “as doações para as vítimas podem ser feitas na sede da Prefeitura, da Guarda Municipal e no Corpo de Bombeiros”.

A Defesa Civil está realizando um trabalho de monitoramento das residências atingidas. Engenheiros e técnicos estão indo às casas e fazendo laudos para dar garantia sobre o retorno das famílias para os imóveis.


Busca de Notícias