Prefeito concede entrevista à imprensa


O prefeito Toninho Andrada concedeu nesta quarta-feira, 03, uma entrevista à imprensa local, falando sobre diversos assuntos. Entre eles, as ações desenvolvidas pela Prefeitura frente às fortes chuvas que afetaram principalmente a área rural, culminando com queda de pontes, famílias desabrigadas e prejuízos ao abastecimento de água no distrito de Correia de Almeida e na área urbana do Município. Toninho falou ainda sobre o Carnaval; sobre a parceria do Município com a Caixa Econômica Federal, na ordem de R$ 5 milhões, para modernização da máquina administrativa, na área de informática e na base de dados da Secretaria Municipal de Fazenda; a quitação do financiamento junto ao BDMG, referente à Rua Bahia. Por fim, o prefeito destacou sobre a proposta do Executivo para o reajuste de até 11,67%, em parcelas, nos salários do funcionalismo municipal, como também o pagamento do 13º salário da categoria.

 

Trechos da entrevista do prefeito Toninho Andrada

 

Chuvas – Vivemos nos últimos dias um atropelo por causa das chuvas que foram muito fortes e que pelo menos nos últimos 50 anos a cidade não tinha visto da forma que aconteceu. Criamos um Gabinete de Crise, com um grupo para coordenar as ações. A Defesa Civil, coordenada pelo José Luiz de Sena, fez um trabalho extraordinário, com um levantamento de todas as demandas causadas pela chuva, o que possibilitou que o Gabinete de Crise pudesse coordenar o trabalho de atendimento. Os pontos críticos que eram o acesso às comunidades dos Torres e do Palmital, com a queda de uma ponte, a equipe da Secretaria de Obras em um mutirão que foi feito com a ajuda da iniciativa privada, de empresas da cidade, que cederam maquinários e deram apoio, a Rivelli, mais uma vez cedeu máquina, pontes provisórias foram construídas em tempo recorde. Nós conseguimos atender com certa rapidez as principais demandas, como também aos desabrigados. A Defesa Civil de Barbacena tem feito um serviço muito bom, com apoio de diversos outros setores como a Defesa Civil do Estado e a própria Copasa, que prestaram apoio e solidariedade e nós queremos agradecer a todos estes parceiros que deram sua contribuição neste momento de crise.

 

Abastecimento de água – Enquanto o Brasil discute a falta de água porque os rios estão secando, em Barbacena nós estamos vivendo o oposto, a cidade ficou sem água porque tivemos água demais, água em excesso. Precisamos elogiar toda equipe do SAS pela eficiência com que eles trataram a questão, pois mesmo com todos os motores encharcados e com as bombas sem funcionarem, eles conseguiram com uma bomba só que, no dia de hoje (3 de fevereiro), 75% do abastecimento de água fosse recomposto. Esperamos que até sexta-feira as bombas voltem a operar com sua potência total para que no final de semana todo sistema esteja funcionando normalmente. Nós temos as partes altas da cidade ainda com problema de falta d'água, mas o SAS montou uma equipe com atendimento com caminhões pipa, sendo três do próprio SAS e conseguimos ainda a cessão de um caminhão da Prefeitura de São João del-Rei, queremos aqui agradecer a Prefeitura por ter cedido o caminhão pipa, e outro da empresa Rivelli, que também queremos agradecer. E são estes caminhões que estão atendendo os pontos críticos da cidade.

 

Carnaval – Por causa deste momento de crise, de falta de dinheiro, diversas cidades que têm tradição de fazer o Carnaval estão suspendendo a festa. A Prefeitura de Barbacena também não tem condições de sair fazendo grandes festas. Nós estamos tomando uma atitude para atender a nossa necessidade de conter gastos, mas ao mesmo tempo ofertar uma festa à população. O Carnaval no Centro, que deu certo e que quem faz a festa é a população é o folião, a Prefeitura apenas estimula a festa, está mantido. Já a festa que acontecia no Pontilhão era cara. Então a Prefeitura, em um entendimento com a Paróquia de Santo Antônio, transferiu o Circuito que seria no Pontilhão para a Praça Santo Antônio, atendendo até uma sugestão do Padre Eudes, uma vez que a Praça Santo Antônio é muito grande e tem todas as condições de receber o evento. A Prefeitura vai organizar e entrar com muito pouco, investindo em pontos específicos, reduzindo em muito a despesa que o Município teria e ao mesmo garantindo um espaço para que a população possa se divertir no Carnaval.

 

Financiamento da Rua Bahia – Quando fui prefeito pela primeira vez, há 20 anos, consegui um financiamento no projeto Soma, que tinha dinheiro do Estado, do Banco Mundial e a Prefeitura entrava com uma parte. Foi este dinheiro que bancou toda obra de canalização de 1,5km do córrego da Rua Bahia, que permitiu que fossem abertas as ruas dos dois lados do córrego, levando estrutura para toda aquela área. A Prefeitura vem pagando este financiamento, mas os juros são muito alto. Então o Movimento Municipalista conseguiu no Congresso uma Lei que alterou o índice de correção da dívida. Com a nova lei, o que Barbacena pagou nestes 20 anos já é o suficiente para quitar a dívida e assim vamos economizar R$ 4,5 milhões.

 

Parceria Prefeitura e Caixa Econômica – A Prefeitura vem negociando com a Caixa Econômica Federal, há dois anos, recursos para que a gente possa gastar com a modernização do trabalho administrativo da Prefeitura. Nos últimos 10 anos, nada ou quase nada foi investido no setor, o que faz com a Prefeitura tenha um serviço interno lento e para melhorar isto temos que investir na parte de informática, para que possamos atender de forma eletrônica e com maior rapidez a população. Serão R$ 5 milhões para serem investidos na modernização da Prefeitura, na parte administrativa, dando mais qualidade ao serviço e atendendo melhor à população. Este projeto precisou ser aprovado pelo Tesouro Nacional, mostrando que Barbacena é ficha limpa, que a Prefeitura tem crédito, pois temos trabalhado com bom senso e seriedade.

 

Salários – É bom a gente deixar bem pontuado e claro que o pagamento de todos os servidores, efetivos e aposentados da Prefeitura, está rigorosamente em dia. Nós estamos com dificuldade financeira para enfrentar o aumento e para enfrentar a questão do 13º, mas o pagamento do mês está rigorosamente em dia. Nós estamos sofrendo as consequências da crise do Governo Federal, que infelizmente está colocando o país em uma situação de muita dificuldade. O comércio praticamente não está vencendo, porque a população está sem dinheiro, o desemprego está aumentando, a economia está parando e, com isso, o Governo Federal está arrecadando menos dinheiro de imposto, porque o imposto é arrecadado quando as pessoas compram, quando a indústria produz. Se a indústria não produz e as pessoas não compram, o governo também não arrecada imposto e, não arrecadando imposto, o caixa do governo cai, e o Governo Federal corta as verbas que tem que passar aos Municípios, porque não tem dinheiro e a corda sempre arrebenta para o lado mais fraco.

 

Reajuste – O Governo do Estado, por exemplo, tinha que dar agora 11,30% de aumento para os professores no mês de janeiro e já disse que não vai dar. No caso de Barbacena, estamos com a folha rigorosamente em dia e a medida que nós mandamos (à Câmara) para dar o aumento de 11,67% parcelado é justamente para preservar o equilíbrio financeiro e garantir que não haja atraso mensal do pagamento dos servidores. Se esticar demais, a corda arrebenta. É preciso a gente ter bom senso, equilíbrio seriedade nesse momento de crise, porque, quando a coisa desanda, é muito difícil colocar o trem nos trilhos. Você diminuir a velocidade e fazer a viagem demorar um pouquinho, mas garantir que ela vai acontecer, é muito melhor do que pisar no acelerador e fazer o trem sair dos trilhos, porque depois que ele sair é muito complicado colocar ele de volta.


Busca de Notícias