Apae à deriva. Estado rompe convênio e deixa 700 alunos sem professores. Prefeitura articula apoio emergencial para salvar entidade
Apae perdeu 33 professores disponibilizados pelo Estado e está sem receber repasses financeiros desde outubro de 2015. Sem apoio, entidade corre risco de fechar as portas


Sem aviso prévio e sem qualquer negociação, o governo do Estado rompeu o convênio que há 23 anos mantinha com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Barbacena – Apae para atender mais de 700 alunos portadores de necessidades especiais com síndrome de down, autismo e paralisia cerebral, entre outras. O ato do Estado significou a retirada de 33 professores da entidade, inviabilizando o seu funcionamento.  Além da suspensão do apoio, o Estado não repassa os recursos financeiros devidos à entidade desde outubro de 2015, gerando uma dívida de mais de R$ 200 mil. “A Apae foi literalmente abandonada pelo Estado”, desabafou um de seus dirigentes. A entidade funciona há 54 anos e o seu trabalho tem reconhecimento estadual e federal, além de ser referência regional.

Diante do caos e da iminência do fechamento das portas da entidade, seus dirigentes foram recebidos pelo Prefeito Toninho Andrada na tarde de quarta-feira. Acompanhado do Secretário de Saúde e Programas Sociais, José Orleans, o Prefeito recebeu em seu gabinete o Presidente da Apae, João Bosco da Silva, a Coordenadora Pedagógica, Eliana Tafuri Dornelles, a Coordenadora de Saúde, Nídia Costa, e a Secretaria Executiva da entidade, Sônia Oliveira. Por mais de uma hora discutiram o problema gerado pela ação do Estado e avaliaram ações para “salvar” a Apae. A Prefeitura de Barbacena, que já mantém convênio com a entidade na área da educação infantil, estuda ampliar a parceria para suprir o abandono do Estado. “A grande dificuldade no momento é que a Prefeitura está em situação financeira delicada com as quedas das receitas federais e estaduais, mas não iremos deixar a Apae fechar suas portas”, disse o Prefeito.

Como apoio emergencial, o Prefeito autorizou o repasse de R$ 200 mil à entidade através da Secretaria de Saúde e Promoção Social, e determinou à Secretaria de Educação, Desporto e Cultura que providencie aditivo ao convênio com a Apae para ampliar o número de professores cedidos à entidade. Toninho Andrada afirmou que determinou estudos para a criação de Escola Municipal que funcionaria nas dependências da Apae, com especialização na educação de portadores de necessidades especiais.

O Secretário José Orleans disse que cobraria do Estado a regularização dos repasses à Apae referentes ao Programa de Intervenção Precoce Avançada – PIPA, devidos desde outubro do ano passado. A Secretária de Educação Rita Candian informou que a Secretaria agirá com rapidez nas ações de suporte à Apae.


Busca de Notícias