Presidente da Apae destaca apoio da Prefeitura
Após Estado romper convênio de 23 anos com a instituição, direção da Apae ampliou convênio com a Prefeitura para viabilizar o funcionamento da Associação

No ano passado, o prefeito Toninho Andrada entregou ao presidente da Apae, João Bosco da Silva, um carro zero km para a instituição

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) funciona em Barbacena há mais de 54 anos e há 23 mantinha convênio com o Governo de Minas para ajudar na manutenção de suas atividades. Porém, na última semana, sem aviso prévio e sem qualquer negociação, o Governo do Estado rompeu o convênio que tinha com a Associação, o que permitia o atendimento de mais de 700 alunos portadores de necessidades especiais com síndrome de down, autismo e paralisia cerebral, entre outras. Diante do caos e da iminência do fechamento das portas da entidade, seus dirigentes foram recebidos pelo prefeito Toninho Andrada na tarde da última quarta-feira (09). Sensibilizado com a situação, o prefeito autorizou o repasse de R$ 200 mil à entidade, através da Secretaria Municipal de Saúde e Promoção Social (Sesaps), e determinou à Secretaria Municipal de Educação, Desporto e Cultura (Sedec) que providenciasse aditivo ao convênio com a Apae para ampliar o número de professores cedidos à entidade.

Em entrevista à imprensa local, na terça-feira (15), o presidente da Apae Barbacena, João Bosco Siqueira da Silva, destacou a rapidez nas decisões e ajuda do Governo Municipal. Segundo ele, a atuação da Prefeitura foi essencial para que os trabalhos normalizassem. “Só temos que agradecer, porque graças ao apoio do prefeito, vamos continuar a prestar serviços de qualidade a toda população de Barbacena e região. Somos muito gratos pela rapidez da ajuda e estamos trabalhando em pleno vapor. Tínhamos um recurso para receber, que é o Programa de Intervenção Precoce Avançada (Pipa) e com a ajuda do Toninho Andrada, por meio da Secretaria de Educação, Desporto e Cultura (Sedec) e da Secretaria de Saúde e Programas Sociais (Sesaps), conseguimos receber a verba e com este repasse continuar a ter infraestrutura para as pessoas que necessitam da Apae”, disse.

João Bosco destacou ainda que “num primeiro instante, o prefeito Toninho Andrada se dispôs a implantar uma escola municipal na Apae, pois desta forma a Prefeitura tem condições de manter todos os subsídios na área de educação necessários para atendimento aos nossos usuários. Como essa medida deve levar algum tempo para ser concretizada, devido ao trâmite natural do processo, o prefeito se prontificou a ceder mais sete professores, e com isso amenizar as perdas e fazer com que a instituição não precise paralisar seu funcionamento”, destacou o presidente.

João Bosco falou também do apoio recebido dos secretários Dr. José Orleans da Costa, da Sesaps; e Rita Candian, da Sedec, que, segundo ele, “estão sendo peças chave para que a Apae continue bem”.

 

Entenda o caso

O rompimento do convênio que o Governo de Minas mantinha com a Apae, nos últimos 23 anos, significou a retirada de 33 professores da entidade, inviabilizando o seu funcionamento. Além da suspensão do apoio, o Governo de Minas não repassa os recursos financeiros devidos à entidade desde outubro de 2015, gerando uma dívida de mais de R$ 200 mil. “A Apae foi literalmente abandonada pelo Estado”, desabafou um de seus dirigentes. A entidade funciona há 54 anos e o seu trabalho tem reconhecimento estadual e federal, além de ser referência regional.

Diante do caos e da iminência do fechamento das portas da entidade, os dirigentes da Apae foram recebidos pelo prefeito Toninho Andrada na tarde de quarta-feira. Acompanhado do secretário municipal de Saúde e Programas Sociais, José Orleans, o prefeito determinou as ações imediatas por parte da Prefeitura.

Estiveram presentes, João Bosco da Silva, a coordenadora Pedagógica Eliana Tafuri Dornelles, a coordenadora de Saúde Nídia Costa e a secretaria Executiva da Apae, Sônia Oliveira. Por mais de uma hora discutiram o problema gerado pela ação do Estado e avaliaram ações para “salvar” a Apae. A Prefeitura de Barbacena, que já mantém convênio com a entidade na área da educação infantil, estuda ampliar a parceria para suprir o abandono do Estado. “A grande dificuldade no momento é que a Prefeitura está em situação financeira delicada com as quedas das receitas federais e estaduais, mas não iremos deixar a Apae fechar suas portas”, disse o prefeito.


Busca de Notícias