Prefeitura esta concluindo primeira etapa da ampliação da adutora do Rio das Mortes
Obra vai praticamente triplicar a capacidade de captação de água no município


A primeira etapa das obras da Prefeitura de Barbacena para a ampliação da adutora do Rio das Mortes está quase concluída. O serviço, realizado com recursos próprios do Sistema de Água e Saneamento (SAS), na ordem de R$ 5 milhões, chegou a 90% nesta semana, com previsão de término ainda para abril. Nesta fase, estão sendo colocados 1300 metros de tubos de 600 milímetros entre o bairro Ipanema e a Estação de Tratamento de Água (ETA II). A informação foi confirmada pelo prefeito Toninho Andrada, que em reunião, durante a semana, com o diretor do SAS, engenheiro Luís Alvaro, acertou detalhes da segunda e última fase do projeto.  

Toninho disse ainda que 'na segunda e última etapa, serão colocados mais 3,8 mil metros de tubos - que já foram licitados - entre a ETA II e a Estação de Captação de Água Bruta do Rio das Mortes. Após a conclusão das duas etapas, a cidade vai praticamente triplicar a capacidade de captação de água, que hoje é de 160 litros por segundo e passará a ser de 450 litros por segundo, em um benefício para os próximos 50 anos', enfatizou.

Luís Alvaro, que é funcionário de carreira da Autarquia, disse que a duplicação da Adutora representa uma das obras mais importantes já realizadas pela Prefeitura na área de captação de água potável. 'Enquanto a maioria dos municípios brasileiros enfrentam graves crises nesta área, graças a determinação do prefeito Toninho Andrada, Barbacena da um salto no futuro e encontra uma solução para o abastecimento de água no município, que vai impactar as futuras gerações'. 

Para Bruno Moreira Mota, vice-diretor e também funcionário de carreira do SAS, a população de Barbacena ganha um presente de valor incalculável com a realização desta obra. 'Um governo que investe nesta área, é um governo consciente, que se preocupa com o bem estar da população. E Barbacena precisava muito desta duplicação, se não teríamos sérios problemas para abastecer num futuro próximo as mais de 30 mil residências que hoje fazem parte da jurisdição do SAS. É um grande presente para a cidade'.


Busca de Notícias