Prefeito responde Promotor e diz que Barbacena "não é uma ilha"
O Prefeito discordou publicamente do representante do MP e disse que os salários dos aposentados e servidores ativos estão rigorosamente em dia, "sempre pagos no quinto dia útil de cada mês"

Prefeito de Barbacena, Toninho Andrada

Em resposta ao Promotor de Justiça Vinicius de Souza Chaves que defendeu o bloqueio de verbas da Prefeitura para pagar demandas do funcionalismo, o Prefeito Toninho Andrada disse que a cidade 'não é uma ilha isolada' e que também sofre as consequências da crise econômica do país. O Prefeito discordou publicamente do representante do MP e disse que os salários dos aposentados e servidores ativos estão rigorosamente em dia, 'sempre pagos no quinto dia útil de cada mês'. Ele afirmou, também, que os professores municipais recebem salários acima do piso nacional do magistério fixado pelo Ministério da Educação. Toninho Andrada criticou a ação judicial proposta pelo MP 'que não ouviu as alegações da Prefeitura, decidindo agir ouvindo somente um lado'.

O Prefeito lembrou que assumiu o governo em 2013 herdando uma dívida de R$ 124 milhões da gestão passada, que deixou vários meses de salários atrasados dos servidores. E disse, ainda, que no seu atual governo restabeleceu a pontualidade no pagamento do funcionalismo e ainda quitou R$ 6,4 milhões de salários atrasados dos aposentados e R$ 6,3 milhões dos servidores ativos, num total de R$ 12,7 milhões. Toninho explicou que o Simpas - responsável pelo pagamento dos aposentados - apresenta déficit mensal de R$ 1,2 milhão mensais que são 'bancados pelo tesouro municipal'.

Nas suas declarações à Rádio 93 FM, o Prefeito afirmou que vem cortando despesas e reduzindo investimentos, num grande esforço para manter o equilíbrio financeiro da cidade. 'As despesas com carnaval e a realização da Exposição foram reduzidas drasticamente, e hoje gastamos praticamente a metade do que se gastava há quatro anos atrás', numa comparação com a gestão passada. 'Mas mesmo com menos dinheiro estas festas melhoraram muito, e isso incomoda muita gente', disse. 'Soubemos aplicar bem os poucos recursos, e com menos fizemos mais', concluiu.

Ele criticou a intenção do representante do MP de pedir o bloqueio de verbas da Prefeitura para atender pedido do Sindicato da categoria, afirmando que a medida prejudicará os 130 mil habitantes da cidade: 'se houver bloqueio de recursos não teremos como pagar as dívidas parceladas da gestão passada junto ao INSS, os precatórios e o Pasep, e nem a complementação dos salários dos aposentados junto ao Simpas. Não teremos como pagar o custeio da máquina administrativa com combustível, telefone, sistemas de informatização, e os convênios com entidades filantrópicas, creches, Emater e outras entidades terão que ser suspensos 'jogando a cidade numa grave crise'. Complementando dia fala, o Prefeito alertou que 'todas as obras financiadas - asfaltamento, canalização da rua Bahia, construção de Unidades de Saúde e mobilidade urbana - também seriam paralisadas. Segundo o Prefeito, todos estes dados foram apresentados ao Poder Judiciário 'já que o Promotor optou por não nos ouvir e não permitiu o contraditório'.

O Prefeito também revelou certa incompreensão já que 'o MP não pediu o bloqueio de contas da gestão passada que chegou a deixar os servidores sem receber salários por quatro meses, e agora age diferente quando está tudo em dia. São dois pesos e duas medidas', desabafou.

Perguntado sofre a possibilidade de estar havendo politização do movimento do funcionalismo, Toninho afirmou que 'sim' considerando 'que certos setores estão tentando antecipar o calendário eleitoral, com a velha pratica do quanto pior melhor'.

'Nos últimos três anos e meio construímos um certo equilíbrio financeiro, que é frágil devido às dívidas herdadas e a crise econômica do pais, com a queda das receitas das Prefeituras. Mas hoje, apesar das dificuldades, a cidade é 'ficha limpa', paga em dia e tem crédito para obter financiamentos e receber recursos via convênios. Foi uma grande conquista em tempo muito curto, que estão impactando positivamente no desenvolvimento de Barbacena', analisou o Prefeito em sua fala na emissora. Ele enfatizou, ainda, que não abrirá mão do equilíbrio fiscal e que não permitirá 'ações que joguem a Prefeitura e a cidade ladeira abaixo num momento delicado do país'.


Busca de Notícias