Prefeito recebeu comando de greve
Professores pedem negociação separada

Prefeito Toninho Andrada, acompanhado de secretários municipais, participou de reunião com representantes do comando de greve

Integrantes do magistério pediram que o governo municipal abra negociações separadas e diretas com a categoria. Eles avaliam que o movimento grevista "está contaminado politicamente" e que a greve, praticamente mantida pela educação, "está tendo seus rumos decididos por outros setores". O prefeito Toninho Andrada reafirmou o posicionamento do governo municipal de manter aberto o diálogo, e que "se houver a disposição de negociação separada de integrantes do magistério, a Prefeitura estará totalmente aberta".

Ele lamentou a "excessiva politização e radicalização da greve", que rejeitou o entendimento preliminar firmado entre Prefeitura e comando de greve para início das negociações salariais. Na noite de quarta-feira (8), o Prefeito, acompanhado de Secretários Municipais, reuniu-se com representantes do comando de greve e ajustaram procedimentos preliminares para o efetivo início das negociações.  

Pelo entendimento preliminar firmado entre governo municipal e representantes dos servidores públicos, com o fim da greve e reinício das aulas na segunda-feira (13), a Prefeitura faria o abono e pagamento dos dias não trabalhados dos professores grevistas em 48 horas. Também conforme o entendimento, o Prefeito encaminharia à Câmara Municipal, nesta sexta-feira, dia 10, projeto de lei restabelecendo as condições iniciais da proposição que deu origem à lei 4747/2016, para "quebrar as amarras" legais do seu texto, viabilizando a construção alternativa de propostas para as negociações.

Ficou decidido, ainda, que a primeira rodada de negociações aconteceria dia 13, com prazo final até o dia 17 para apresentação de proposta definitiva.O Prefeito Toninho Andrada considerou a decisão da assembleia de rejeitar o cronograma estabelecido "um equívoco" porque "o prazo para a concessão de aumentos salariais terminará dia 2 de julho devido à legislação eleitoral". Segundo avaliou, para que "as conversações ocorram de maneira efetiva, há necessidade de ambiente propício, de normalidade, um diálogo sem radicalismos".

Para o secretário municipal de Planejamento e Gestão, Silver Wagner, que também preside à Comissão Permanente de Negociação, as discussões serão "complexas" e "o entendimento preliminar alcançado preservava as condições para o diálogo, favorecendo o encaminhamento das propostas que seriam discutidas". A greve que tem seu foco principal na educação, já dura 40 dias e praticamente desfez o calendário escolar municipal, afetando quase 8 mil alunos. 


Busca de Notícias