Barbacena participa de movimento “São João do SUS”
Diversos setores da saúde no Município participaram de passeata

Durante o São João do SUS, os manifestantes usaram roupas pretas

Ao invés do caminho da roça, seguiu-se o rumo da praça. E, foi assim, aproveitando o período de festas juninas, a Secretaria Municipal de Saúde e Programas Sociais (Sesaps) e o Conselho Municipal de Saúde de Barbacena, em consonância com a deliberação do Plenário do Conselho Nacional de Saúde, e com o Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais, realizou, na tarde desta sexta-feira (24), mobilização pública em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS). O ato intitulado “São João do SUS” começou com uma passeata com saída na Praça do Rosário com destino à Praça dos Andradas, onde a manifestação terminou ao som de músicas de festejos juninos e muita dança.

A ação em Barbacena contou com a presença das principais entidades de saúde do Município. Além de servidores da Sesaps e do Conselho Municipal de Saúde, também aderiram o movimento Imaip, Ibiapaba, Santa Casa e Hospital Regional. Os manifestantes participaram da passeata usando roupas pretas e alguns foram vestidos de palhaço, para mostrar que o povo merece respeito.

Assim como em Barbacena, várias cidades estão participando do movimento, que se mostra contra as várias medidas de corte de gastos, que incidem principalmente sobre a área social, afetando o SUS e o Sistema Único de Assistência Social (Suas), anunciadas pelo Ministério da Saúde.

O prefeito Toninho Andrada afirma que “os municípios já vêm sendo muito penalizados com a queda de repasses do Governo Federal, como por exemplo no caso do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e que mais cortes, principalmente na área da saúde, vão praticamente inviabilizar a oferta de serviços de qualidade à população”.

A secretária municipal de Saúde e Programas Sociais, Queila Cristina Souza, ficou satisfeita com a adesão ao movimento em Barbacena. “A saúde já passa por dificuldades e com as medidas anunciadas ficará ainda mais complicado. Conseguimos sensibilizar a rede hospitalar da cidade e também o corpo médico, isto é muito importante para mostrar a sociedade que estamos lutando pelos direitos do cidadão assegurados pela Constituição”.  


Busca de Notícias