Sesaps alerta população sobre risco da H1N1
Sintomas são parecidos com os da gripe comum

O período de inverno, com as baixas temperaturas, é um agravante a mais e deixa em alerta as autoridades em saúde de todo País

A Prefeitura de Barbacena, através da Secretaria de Saúde e Programas Sociais (Sesaps), alerta a população sobre os cuidados essenciais contra o H1N1, também conhecida como gripe Influenza tipo A e gripe suína, que ficou conhecida e causou grande preocupação as autoridades da área da saúde quando afetou grande parte da população mundial entre 2009 e 2010. O período de inverno, com as baixas temperaturas, é um agravante a mais e deixa em alerta as autoridades em saúde de todo País.

Os sintomas da gripe H1N1 são bem parecidos com os da gripe comum e a transmissão também ocorre da mesma forma. Segundo a Secretária de Saúde e Programas Sociais (Sesaps), Queila Cristina Souza “o problema da gripe H1N1 é que ela pode levar a complicações de saúde muito graves, podendo levar os pacientes até mesmo à morte: febre alta, tosse, dor de cabeça, dores musculares, falta de ar, espirros, dor na garganta, fraqueza, coriza, congestão nasal, náuseas e vômitos e diarreia”, explicou ela.

E, os números de morte causados pela doença vem assustando. De acordo com boletim epidemiológico publicado pelo Ministério da Saúde, este ano, 1.121 pessoas morreram em decorrência do vírus H1N1 no Brasil. No ano passado inteiro, o país registrou 36 mortes por H1N1; em 2014, tinham sido 163 mortes e, em 2013, 768 óbitos pelo vírus. Ao todo, foram notificados 5.871 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) por influenza A/H1N1 ao longo de 2016.

As principais precauções são lavar as mãos com frequência, com água e sabão, especialmente se tiver contato com superfícies supostamente contaminadas pelo vírus (mesas de bar, corrimão de escadas, maçanetas etc); após tossir ou espirrar. Na impossibilidade de realizar esse procedimento simples, higienizar as mãos com álcool gel é uma medida bastante eficiente; ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com lenço de papel ou com os braços, evitando assim a eliminação de gotículas (que podem conter o vírus) no meio ambiente e, deste modo, proteger outras pessoas; evitar aglomerações e locais fechados; afastar-se das atividades habituais (permanecer em casa), para diminuir o risco de transmissão do vírus.


Busca de Notícias