Instituto Quilombo inicia Diagnóstico Socioeconômico e Demográfico das Populações Negras e Indígenas
Os questionários abordavam vários temas

Equipe que vai atuar nos trabalhos de campo para a elaboração do diagnóstico

Começou na última segunda feira, dia 18, as atividades práticas do Instituto Cultural Primeiro Quilombo voltadas à realização do Primeiro Diagnóstico Socioeconômico e Demográfico das Populações Negras e Indígenas de Barbacena, onde foram selecionados 25 agentes de campo que irão executar o trabalho de aplicação dos questionários junto às residências selecionadas. Os questionários deverão incluir dados sobre as condições do indivíduo e da família em termos de faixa etária, gênero, raça, faixa salarial, tipo de emprego, grau escolar, dentre outros; na saúde da família verificar se existem pessoas com alguma doença ou patologia; sobre as casas, quais os tipos de construção e quantos cômodos, se possuem água encanada, dentre outros, sobre o bairro se há escola, posto médico, transporte urbano, jardim, praça de esporte e lazer, dentre outros; sobre as ruas qual o tipo de calçamento, se possuem luz elétrica, saneamento básico, coleta de lixo, rede de esgoto, dentre outros.

A produção deste Primeiro Diagnóstico Socioeconômico e Demográfico se justifica pelo fato de que, as informações, via Censo e Amostra por Domicílio, disponíveis para o subsídio de ações públicas de atenção às demandas das populações negras e indígenas de Barbacena, são incompletas, insuficientes e até mesmo inexistentes. Desta forma, o objetivo final deste Diagnóstico é levantar informações que possibilitem a Prefeitura Municipal de Barbacena e o Poder Público Municipal elaborarem um Plano Municipal de Políticas de Atenção às Necessidades Fundamentais das Populações Negras e Indígenas de Barbacena historicamente excluídas do processo social, político e econômico brasileiro.

De acordo com o Coordenador Geral Ângelo Satyro, o objetivo é atingir a sede Barbacena, mais as 12 zonas rurais. O trabalho de campo, que consiste na aplicação dos questionários, será precedido de uma visita dos pesquisadores às residências selecionadas para que lhes sejam explicados o Projeto e a importância de receber os agentes de campo e responder ao questionário.

Assim, em apoio ao Projeto Diagnóstico o Jornal Praça Pública irá acompanhar os trabalhos de campo e publicar semanalmente ao longo de sua execução o calendário de visita divulgando aos bairros, ruas e residências selecionadas. As visitas às residências foram divididas em dois momentos. Primeiro uma pré-visita às residências com o intuito de apresentar o projeto e agendar uma nova visita para aí sim ser efetuada a pesquisa. O segundo momento seria a pesquisa e entrevista propriamente ditas.

Assim, as pré-visitas irão iniciar nesta segunda-feira dia 25 e irão até 29 de julho nos horários de 9 às 12 horas e das 14 as 18 horas. Os bairros selecionados para aplicação dos questionários foram: Nova Cidade, Nova Suiça, Ipanema, Caiçaras, Vilela, Monte Mário, Aguada, Dom Bosco, Santa Efigênia, São Pedro, Guarani, Novo Horizonte, Nossa Senhora Aparecida, Nove de Março, Santa Maria, João Paulo II mais as zonas rurais em especial os distritos de Ponto Chic do Martelo e Padre Brito, respectivamente locais de residências quilombolas e indígenas.


Busca de Notícias