Alunos de escola municipal participam da Olimpíada Brasileira de Robótica
Etapa estadual aconteceu no final do mês de agosto, em São João del Rei


Pela segunda vez, a Escola Municipal Monsenhor Lopes, representada pela equipes de alunos Fênix Robots (Weverton Barbosa Adão; Gabriela de Almeida Medeiros; Diogo Rodrigo dos Santos; Yasmin Maria Batista Costa) participa da Olimpíada Brasileira de Robótica – OBR. A fase estadual, chamada de nível 1, aconteceu no último dia 27, na cidade de São João del Rei, quando envolveu 31 equipes de várias cidades do estado de Minas Gerais. A presença dos estudantes de Barbacena é fruto do desenvolvimento de projetos diferenciados, permitindo aos alunos vivenciarem e experimentarem novas práticas educacionais, promovendo um aprendizado participativo, interativo/dinâmico, inclusive de cunho cultural.

Nessa fase da competição foi feita uma simulação de um ambiente de desastre em mundo real onde o resgate de vítimas precisa ser feito por meio de robôs. Nesse ambiente, o robô precisa ser completamente autônomo para cumprir sua missão, que é a de resgatar as vítimas. Só que para poder estar efetuando o resgate o robô de cada equipe terá de seguir uma trilha cheia de obstáculos e desafios. Sendo ágil para superar um terreno hostil, com redutores de velocidade, sem ficar preso neles; além de terem de atravessar terrenos desconhecidos onde a trilha não pode ser reconhecida; desviar de escombros e subir montanhas (rampa) para conseguir salvar asvítimas (uma bolinha de isopor revestido de alumínio), transportandoas para uma área segura onde os humanos podem assumir os cuidados da vítima.

O trabalho é coordenado por Diego estimula e incentiva os alunos, o que tem identifica talentos, levando a escola à posição de 1º Lugar entre as escolas municipais de Educação Básica e/ou Ensino Fundamental I e II participantes; e ao 7º lugar na classificação geral da Etapa Regional de Minas Gerais, onde participaram 31 equipes “Achei muito bom ter a chance de ir à OBR pela segunda vez, porque ganhei mais conhecimento na robótica e na computação, interagi com outras pessoas e sanei dúvidas. Tive orgulho de ter ido lá para mostrar que tenho capacidade e que eu posso. Mostrar o meu talento e perceber que não é só porque as outras equipes possuíam um robô melhor que nós não teríamos a chance ganhar, muito pelo contrário eu tive que me esforçar muito mais dando o meu melhor e não ter vergonha de estudar em escola pública. Orgulho-me disso porque são poucas as escolas que têm essa oportunidade. Entrei com garra e determinação, perdi meus medos de apresentar em público e percebi que éramos uma equipe e que todos precisavam de todos”.

Ainda segundo o aluno: “Pra ser campeão você tem que aprender a perder, e não é só porque perdemos que vamos desistir, temos que fazer melhor analisando onde erramos e consertando os erros.Me diverti muito, fiz novas amizades, arrasei na entrevista. Achei que nós arrasamos e foi muito bom.”

O foco principal da robótica educacional é fugir dos velhos paradigmas, com enfoques estritamente tradicionais, apresentados nas antigas “Feiras de Ciências”; pois,demanda a participação do grupo de alunos na concepção e modelagem da situação problema e consequente resolução. Uma forma prática, moderna e eficiente de aplicar a teoria Piagetiana em sala de aula, onde o aluno é levado a pensar na essência do problema,assimilando-o para, posteriormente, acomodá-lo em sua perspectiva de conhecimento.


Busca de Notícias