Prefeitura realiza ação socioambiental do PAC 2 em escola estadual
Evento contou com palestra sobre a necessidade do acondicionamento correto do óleo de cozinha


A Prefeitura de Barbacena, através da Subsecretaria de Programas Sociais da Sesaps e a Sala Verde e Diretoria de Meio Ambiente do Serviço de Água e Saneamento (SAS), juntamente com a empresa Ecomania, realizou, no último dia 12 de julho, uma ação socioambiental, como parte do PAC 2, na Escola Estadual Doutor Teobaldo Tollendal, com palestra sobre a necessidade do acondicionamento correto do óleo de cozinha.

A palestrante Eucenéia Magalhães Novaes, representante da Ecomania, foi responsável por prestar informações necessárias para evitar o descarte incorreto do óleo, buscando destacar junto aos alunos e professores a importância dos cuidados com o meio ambiente.

A Subsecretaria de Programas Sociais vem realizando um trabalho socioambiental referente às obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) para conscientizar a população sobre questões ambientais, além de garantir a participação popular no controle da execução das obras.

As obras do PAC 2 que ocorrem no município estão diretamente relacionadas ao saneamento básico, sob supervisão da Comissão Especial de Fiscalização de Obras, com membros do SAS e da Secretaria Municipal de Obras Públicas.

Sobre o descarte incorreto - O óleo de cozinha usado, quando jogado diretamente no ralo da pia ou no lixo, polui córregos, riachos, rios e o solo, além de danificar o encanamento em casa. O óleo também interfere na passagem de luz na água, retarda o crescimento vegetal e interfere no fluxo de água, além de impedir a transferência do oxigênio para a água o que impede a vida nestes sistemas.

Quando lançado no solo, no caso do óleo que vai para os lixões ou aquele que vem junto com a água dos rios e se acumula em suas margens, este impermeabiliza o solo, impedindo que a água se infiltre, piorando o problema das enchentes.

A poluição pelo óleo faz encarecer o tratamento da água (até 45%), além de agravar o efeito estufa, já que o contato da água poluída pelo óleo ao desembocar no mar gera uma reação química que libera gás metano, um componente muito mais agressivo que o gás carbônico.


Busca de Notícias