Em 10 anos, Barbacena reduz mortalidade infantil em mais da metade


UTI Neonatal, vacinação com ampla cobertura infantil, pré-natal acessível e acompanhamento das gestantes nas Unidades Básicas de Saúde e Centro de Especialidades Multiprofissionais - CEM (especialmente nos casos de alto risco), e assistência hospitalar completa na Santa Casa, que é referência materno-infantil: essas são algumas intervenções do Município para uma queda drástica no índice de mortalidade infantil nos últimos 10 anos.

Informações do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do SUS apontam que, em 10 anos, os índices de mortalidade infantil caíram mais da metade em Barbacena, permitindo o alcance das metas estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), com menos de 10 mortes para cada mil nascimentos, abaixo da média nacional e estadual.

A média de natalidade em Barbacena é de 1433 nascidos vivos a cada ano. Enquanto, no ano de 2009, Barbacena registrou mais de 20 mortes para cada mil nascimentos, em 2018,  para cada mil nascimentos, a cidade alcançou um de seus menores índices, de 9,24.

Outro dado positivo está relacionado ao atendimento de mulheres durante a gravidez, parto ou puerpério. Se, no mundo, 830 mulheres morrem por causas evitáveis relacionadas a gestação e ao parto todos os dias, Barbacena registrou apenas um óbito materno desde 2015.

Segundo o Secretário Municipal de Saúde e Programas Sociais, José Orleans de Costa, "estamos investindo para trazer mais qualidade na assistência ao parto, assim como em aquisição de novos equipamentos para melhorar o diagnóstico. Podemos avançar ainda mais, mas o resultado é fruto do trabalho diário e da perseguição das metas."

Clique aqui para ler o relatório. 


Busca de Notícias