Os canteiros de obras das Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) das bacias do Retiro das Rosas e do Galego, em Barbacena, no último dia 17 de setembro, receberam a visita do Comitê de Acompanhamento de Obras (CAO) e passaram por avaliação e monitoramento dos processos com equipe técnica e stakeholders. As atividades fazem parte do cronograma de ações do trabalho socioambiental do projeto, de acordo com o contrato número 0350.901-98/2011.

Consta na Constituição Federal do Brasil que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, cabendo ao Poder Público e à população o dever de protegê-lo, logo a construção das Estações de Tratamento de Esgoto são obras de relevância socioambiental.

Tal importância foi constatada na obra da ETE Retiro das Rosas, quando o grupo pôde observar o córrego próximo às construções, que de um lado ainda há lançamento de esgoto doméstico sem tratamento e do outro já com água límpida, pois todo o esgoto foi canalizado no interceptor, não sendo mais lançado no curso d’água.

A equipe que visitou os canteiros de obras foi formada por parceiros que compõem o CAO, representantes de Secretarias Municipais e componentes da equipe técnica do trabalho socioambiental. Os membros da equipe seguiram as recomendações de segurança com relação aos cuidados de prevenção do novo coronavírus.

A responsável técnica Andreia Firmo falou sobre o material relacionado à alimentação saudável e apresentou a identidade visual do projeto. Na sequência, foram apresentadas explicações do atual momento das obras, com visualização dos equipamentos (locais de tratamento preliminar, decantadores, filtros, leitos de secagem).

Com relação à avaliação e monitoramento, um grupo de participantes da equipe que visitou as obras das ETEs respondeu a um roteiro onde avaliaram o processo de obras e o trabalho social desenvolvido. O grupo pôde também dar sugestões de ações a serem desenvolvidas.

Os benefícios socioambientais das Estações de Tratamento de Esgoto (Retiro das Rosas e Galego) são muitos, com destaque à despoluição dos cursos d’água, possibilidade de regeneração do meio ambiente aquático, valorização imobiliária das áreas atendidas, prevenção de doenças, redução do mau cheiro do curso d’água, além do aumento da qualidade de vida e melhora da saúde pública.


Busca de Notícias